logo-impactos2014

aspas1 A educação é um processo social, é desenvolvimento. Não é a preparação para a vida, é a própria vida. aspas2

Saiba mais...

Projeto Literatura em Ação Encontro de Gerações

ESCOLA ESTADUAL PROFESSORA IDALINA DE FARIAS

 

DIREÇÃO: ENIL DE ARAUJO PINOTE

COODENAÇÃO: ALENIR ARRUDA

                                ETYENNE CRISTYNNA NEVES FERREIRA DE OLIVEIRA

PROFESSORAS: DAYANE AUGUSTA RODRIGUES

                                CLAUDISSEIA GOMES MEIRA

                                SIMONI RODRIGUES DOS SANTOS

                                SUELEM RODRIGUES DOS SANTOS

 

 

 

 

PROJETO LITERATURA EM AÇÃO

ENCONTRO DE GERAÇÕES

 

 

 

NORTELÂNDIA-MT

1º PERFIL DOS ALUNOS ENVOLVIDOS

O projeto beneficiará todas as turmas da Escola Estadual Professora Idalina de Farias

1º A, B, C, D, E e 1º Eja

2º A, B, C, D e 2º Eja

3º A e B

 

2º JUSTIFICATIVA

Percebendo a necessidade de ser trabalhada uma metodologia diferenciada para aprimorar o processo de ensino aprendizagem da Língua Portuguesa e da Literatura, o professor, de qualquer série, da escola pública ou do ensino privado, deve guiar seus procedimentos levando em consideração duas indagações: a) quais competências e habilidades devem ser desenvolvidas visando à formação e desenvolvimento dos alunos; b) e nessa perspectiva, como deve agir na lida com o conhecimento, numa sociedade em que a mudança é a única característica permanente? A partir dessas indagações, buscou-se alternativa de trabalho com a Literatura no Ensino Médio, etapa em que se observa certo distanciamento entre a leitura de obras literárias e os adolescentes, na tentativa de transformar o ideal em real. E é essa alternativa que é descrita e fundamentada neste projeto, no qual se expõem diretrizes teóricas que orientam o projeto em questão, além da descrição da metodologia e dos resultados alcançados.

 

3º OBJETIVO GERAL

Analisar, interpretar e aplicar recursos expressivos das linguagens relacionando textos com seus contextos, mediante a natureza, função, organização, estrutura das manifestações, de acordo com as condições de produção e recepção.

3º OBJETIVOS ESPECÍFICOS

1) Suscitar nos estudantes o gosto e o desejo pela leitura;

2) Tomar conhecimento de dados sobre a vida e obras do autores escolhidos;

3) Conhecer e realizar análises de obras do autor em questão, fazendo análises da linguagem, reflexões metalinguísticas, tipos de diálogos, modernidade estilística, clichês, potencial semântico dos vocábulos, entre outros;

4) Reconhecer a língua e suas variantes como forma de expressão e identidade dos grupos sociais e da época em foco;

5) Conhecer o pano de fundo social e político do Brasil através das obras estudadas e sua consequência na expressão literária;

6) Proporcionar um ambiente aconchegante que estimule  a criação e a imaginação que perpassam pela leitura e pelo texto a ser produzido (sinopse do curta-metragem);

7) Desenvolver a capacidade crítica do educando, incentivando-os a respeitar as diferenças e pontos de vista de cada um, principalmente quando estiverem envolvidos em temas polêmicos, e valores que expressam anseios e preocupações da comunidade em que os alunos estão inseridos.

 

Ações

Descrição

Envolvidos

Responsáveis

 

 

 

 

 

Início

Término

 

 

Planejamento da expedição investigativa:

O anseio de despertar o gosto voluntário dos alunos pela leitura de obras literárias facilitou a elaboração da boa pergunta: “o que o jovem lê no mundo informatizado”.

 

SIMONI RODRIGUES DOS SANTOS E SUELEM RODRIGUES DOS SANTOS

PROFª L.P

SIMONI RODRIGUES DOS SANTOS E SUELEM RODRIGUES DOS SANTOS

FEVEREIRO

FEVEREIRO

Expedição investigativa:

 

Os alunos ao serem inteirados sobre o que eles deveriam observar: “o que o jovem lê no mundo informatizado” durante a expedição, fizeram as devidas anotações e em pequenos grupos responderam o que do percurso havia chamado a atenção dos mesmos e como o tema poderia ser útil ao ser associado aos conteúdos em sala de aula.  ( O foco da observação dos alunos foi a emissora de TV).

Alunos (TODOS)

professora Simoni Rodrigues e Suelem Rodrigues dos Santos

SIMONI RODRIGUES DOS SANTOS E SUELEM RODRIGUES DOS SANTOS

Março

Março

Conselho de grupo para levantamento dos índices:

 

Foram levantadas varias hipóteses e questionamentos em um momento de socialização, sobre quais os tipos de gêneros textuais despertava mais a atenção dos alunos no cotidiano, a maioria optou por textos que tivessem sido sintetizados na internet ou ainda as literaturas que foram adaptadas para  o cinema. Uma das justificativas dada por um aluno do “ seria a facilidade de interpretar o contexto através do tipo de linguagem menos formal que fosse de fácil entendimento”.

Partindo da problemática inicial e a preferência dos alunos, o PROJETO LITERATURA EM AÇÃO ENCONTRO DE GERAÇÕES toma rumos esperados.

Alunos ( todos)

Simoni Rodrigues dos Santos e Suelem Rodrigues dos Santos

professoras de Língua Portuguesa.

SIMONI RODRIGUES DOS SANTOS E SUELEM RODRIGUES DOS SANTOS

Março

março

Lançamento do Projeto

Em março de 2013, os alunos do Ensino Médio de cada ano serão reunidos na Sala de vídeo para oficialmente, conhecerem o nome do autor escolhido para esse ano.

Alunos (todas) e professoras L.P.

SIMONI RODRIGUES DOS SANTOS E SUELEM RODRIGUES DOS SANTOS

Março

 

01/03/2013

Março

31/03/2013

 

 

Conhecendo o autor:

Sob a orientação das professoras, os alunos tomarão conhecimento da vida e obra do autor escolhido, através de leituras, pesquisas e análise do gêneros textuais crônica e poesia.

Alunos (todas) e professoras L.P.

 

SIMONI RODRIGUES DOS SANTOS e SULELEM RODIGUES DOS SANTOS

Abril

 

02/04/2013

Abril

30/04/2013

 

 

Seminários sobre a vida e as obras do autores escolhidos

A partir da bagagem de leituras e conhecimentos, realizaram-se, em sala de aula, seminários para trocas de informações e impressões acerca da vida e obra do autor.

 

Alunos (todas) e professores de História e Geografia e Língua Portuguesa.

 

SIMONI RODRIGUES DOS SANTOS, SUELEM RODRIGUES DOS SANTOS

MACCIONILIO MARQUES

 

Abril

O2/04/2013

Abril

30/04/2013

Escolha da obra:

Foram sugeridas leituras variadas das coletâneas de crônicas e poesias dos autores, disponíveis na biblioteca da escola e/ou à venda, como base para futura roteirização. A leitura será individual, com posteriores debates e contextualizações históricas, geográficas, linguísticas e culturais.

 

Alunos (TODAS) e professora L.P.

 

SIMONI RODRIGUES DOS SANTOS E SUELEM RODRIGUES DOS SANTOS

Maio

01/05/2013

Maio

32/05/2013

Roteirização

A partir do estudo das características do gênero roteiro de cinema e dramatização poética, os alunos se apropriação da técnica, tendo como fonte de informação e estudo sites e roteiros antes realizados. Em pequenos grupos, alunos selecionarão uma ou mais crônica e poesias a ser adaptada, escreveram a sinopse dessa adaptação, descreverão as características principais de cada uma das personagens e, posteriormente, transformaram essa história em um roteiro para curta-metragem e  declamações.

 

Alunos (e (todos)  e professora

 

SIMONI RODRIGUES DOS SANTOS e SUELEM RODRIGUES DOS  SANTOS

Junho

04/06/2013

Junho

30/06/2013

Seleção dos roteiros

Será feita a socialização dos roteiros entre os alunos, realizando, assim, a leitura da produção dos colegas. Os roteiros e as poesias, então, serão analisados, para avaliação dos elementos de coesão e coerência pertinentes a esses gêneros textuais, fazendo, na devolução, a correção e a reescrita, se necessário. A fim de escolher o roteiro e a poesia a serem filmados pela turma, cada dupla apresentará o seu trabalho aos colegas, defendendo o seu projeto.

 

 

Alunos (2°A e 2°B)  e professora

 

SIMONI

RODRIGUES DOS SANTOS E SUELEM RODRIGUES DOS SANTOS

JULHO

02/07/2013

JULHO

16/07/2013

Pré-produção

Escolhido o roteiro e as poesias a serem filmados e declamado pelas turmas, essa será dividida em equipes de trabalho, respeitando o interesse e as habilidades de cada aluno: direção, cenário, elenco, figurino, maquiagem, trilha sonora, efeitos especiais, patrocínio, apoio. Cada equipe teve um aluno coordenador, responsável pelo andamento dos trabalhos do seu grupo.

Alunos (todas)  e professora

 

SIMONI RODRIGES DOS SANTOS E SUELEM RODRIGUES DOS SANTOS

AGOSTO

01/08/2013

AGOSTO

31/08/2013

Reuniões semanais/conselho de grupo sobre o projeto em andamento no período da disciplina de Literatura

As reuniões das equipes serão realizadas nos períodos de aula de Língua Portuguesa e Literatura, bem como os ensaios. Reuniões por turmas com a equipe de filmagens para esclarecimentos sobre esse assunto;

 

Alunos (todas), professora e amigos da escola.

 

SIMONI RODRIGUES DOS SANTOS E SUELEM RODRIGUES DOS SANTOS

MARÇO

03/03/2013

OUTUBRO

29/09/2013

Sarau  de Cinema e Poesia

Pré-estreia - projeção apenas para o Corpo de Jurados (formado por profissionais ligados a escola) e professoras responsáveis pelo projeto. Estreia – projeção para a comunidade e Corpo de Jurado.

 

Alunos (todas),   professora, rádio escola e grêmio estudantil.

 

SIMONI RODRIGUES DOS SANTOS, CLAUDISSEIOA GOMES MEIRA E SUELEM RODRIGUES DOS SANTOS

OUTUBRO

02/10/2013

OUTUBRO

02/10/2013

Produção Literária

Alunos participantes do Projeto, também ficarão responsáveis pelo desenvolvimento de crônicas artigos e poesias, a partir das vivências nos bastidores das filmagens dos curtas-metragens e declamações Essas produções serão editadas no site/blog  da Instituição, “Dos Bastidores ao Prazer da Escrita”.

 

Alunos (TODAS),   professora, rádio escola e grêmio estudantil.

 

SIMONI RODRIGUES DOS SANTOS e CLAUDISSEIA GOMES MEIRA

NOVENBRO

06/11/2013

NOVEMBRO

30/11/2013

RECURSOS (MATERIAIS)

 

MATERIAIS ORÇADOS

 

Un.

 

Descrição

 

Valor Un.

 

Total 1

01

Decoração do ambiente

Tema: Afro brasileiro

 

1.200,00

 

Alimentação

Gastronomia típica africana

 

600,00

03

Banners 70x120

120,00

360,00

30

Dvd virgem

1,50

45,00

                                                                                                                Total

2.225,00

 

CRONOGRAMA

 

Jan

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun

Jul

Ago

Set

Out

Nov

Dez

Planejamento da expedição investigativa

 

X

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Expedição investigativa

 

 

X

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Conselho de grupo para levantamento dos índices: registro em ata assemblear

 

 

 

X

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Lançamento do Projeto

 

 

 

X

 

 

 

 

 

 

 

 

Conhecendo o autor

 

 

 

X

 

 

 

 

 

 

 

 

Seminários sobre a vida e as obras do autor escolhido

 

 

 

X

 

 

 

 

 

 

 

 

Escolha da obra

 

 

 

 

X

 

 

 

 

 

 

 

Roteirização

 

 

 

 

X

 

 

 

 

 

 

 

Seleção dos roteiros

 

 

 

 

 

 

X

 

 

 

 

 

Pré-produção

 

 

 

 

 

 

X

 

 

 

 

 

Reuniões semanais/conselho de grupo sobre o projeto em andamento no período da disciplina de Literatura:

Registro em ata

 

 

X

X

X

X

X

X

X

X

 

 

Sarau de Cinema Música e Poesia

 

 

 

 

 

 

 

 

 

X

 

 

Produção Literária

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

X

 

 

 

 

FUNDAMENTAÇÃO TEORICA

 

A leitura é uma habilidade humana que, segundo Paulo Freire (1997), precede a escrita - só pode ser escrito o mundo que foi anteriormente lido - e está intimamente relacionada com o sucesso acadêmico do ser que aprende e, contrariamente, à evasão escolar (SILVA, 2002). Para KLEIMAN (2001), a palavra é patrimônio da cultura letrada; assim, é preciso garantir ao cidadão a participação nessa sociedade letrada.

Ler, assim sendo, não é uma atitude passiva, não se reduz a uma simples decodificação de sinais gráficos, mas pressupõe uma atividade de reconstrução de sentidos. Ela não é um ato solitário porque envolve o diálogo com o interlocutor, que pode ser com diversos escritores. No momento que fazemos o cruzamento de um texto com outro, que introduzimos questões, os interlocutores ampliam-se. Nesse sentido, a leitura é sempre escritura, são processos geminados. O texto literário apresenta sempre dupla escritura-leitura, ele é uma rede de conexões, atravessado por várias formações discursivas. Leitura e escrita são processos que se completam e complementam.

Considerando esses processos, na contemporaneidade, o desafio do professor de Língua e Literatura é tornar a leitura tão atrativa quanto os meios de comunicação e meios de entretenimento. A escola, hoje, tornou-se um ambiente centralizador de informações, pois nela reúnem-se alunos e professores que assistem a programas de televisão, ouvem rádio conectam-se na web e, por consequência, teriam muito que discutir sobre as informações acumuladas.

Não se trata de querer competir com a mídia, pois seria até injusta tal competição. Porém, os meios de comunicação podem ser utilizados como ponto de partida do processo pedagógico, da aquisição do espírito crítico e, até mesmo, da incorporação de valores, feita através da promoção de debates e de discussões.

Este é o nosso desafio: transformar as informações acumuladas por nossos alunos em conhecimento. Cientes de que o ensino da Língua Portuguesa e da Literatura não pode restringir-se à transmissão de regras gramaticais e de que a leitura pode ser uma atividade deflagradora da produção textual e do aumento da bagagem cultural, buscamos alternativas de trabalho para essas aulas, conjugadas a novas tecnologias. As novas tecnologias transformam as configurações do imaginário, permitem novas formas de criatividade e de expressão, criam o ambiente para a realização da vocação natural da arte (LÈVY, 1993). Por outro lado, a integração de variados elementos – imagens, palavras, sons – potencializa as possibilidades de conexões e transforma o papel do leitor, agora criador de seu próprio texto.

Dessa forma, é fundamental que o professor – e não só o de Língua e Literatura- aproprie-se de seu papel na formação de leitores. Precisa também ter na leitura fonte de aprimoramento e fruição, de forma que seu discurso não seja vazio, mas possa estabelecer condições para o prazer de ler em sua sala de aula. Ainda, dar abertura às diversas interpretações que a obra literária pode suscitar e tentar sempre aprender com elas, oferecendo aos alunos uma grande variedade e quantidade de livros, ensinando-os a fazer vinculação entre o lido e o vivido é alguns dos desafios do professor que se comprometa com a formação de alunos leitores.

Cabe destacar que as opções abertas ao leitor dentro de um programa interativo permitem que ele não apenas elabore sua própria leitura, mas também possa “construir” o material de que pretende fazer uso ou a forma artística que sua liberdade inventiva vier a determinar. O ato passivo frente ao texto, literário ou não, ou à obra de arte em geral transforma-se em atividade participativa da criação.

 

METODOLOGIA

 Durante o ano letivo, as turmas do Ensino Médio da Escola Estadual Professora Idalina de Farias, em Nortelândia MT, estarão envolvidos na produção de curtas-metragens e declamações poéticas. Serão lidas obras literárias específicas para cada ano, com foco em autores brasileiro. A partir das leituras feitas e da apropriação das técnicas de roteirização e declamações, os alunos produzirão adaptações poéticas e cinematográficas dessas obras, buscando patrocínios para seus projetos, trabalhando em equipes, desde a procura por locações e figurinos adequados. Tudo isso, culminando em um sarau para apresentação dos trabalhos desenvolvidos.

Pensando em toda essa trajetória, ao longo do desenvolvimento do projeto, temos buscado realmente incrementar e qualificar o estudo escolar da Literatura, sendo apresentada, entre tantas definições, através da palavra escrita, leitura e imagem. Esses aspectos são contemplados com propriedade no desenvolvimento das atividades envolvidas no projeto “Literatura em ação”, especialmente no dia da família na escola.

 

AVALIAÇÃO

Ao avaliarmos o projeto, hoje, remetemo-nos a ideias de processo avaliativo, isto é, que não é o produto final apenas que irá definir se objetivos foram alcançados ou não. Essa concepção vai ao encontro do “EM AÇÃO”, pois as expectativas iniciais, as possibilidades de trabalho, os conhecimentos construídos, habilidades e competências desenvolvidas vão, ano após ano, sendo superadas. O projeto tem sua importância firmada junto à comunidade escolar, bem como expectativas quanto aos seus resultados e, estando em sua primeira edição (2012), comprova que os objetivos são lançados, alcançados e, surpreendentemente, superados.

 

Referências Bibliográficas

 

 

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa.São Paulo: Paz e Terra, 1997.

 

KLEIMAN, Angela. Oficina de leitura: teoria e prática. 8. ed. Campinas, São Paulo:Pontes, 2001.

 

MORIN, Edgar. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. 2.ed. Rio de Janeiro: Bertrand do Brasil, 2000. 128p.

 

SILVA, Ezequiel Teodoro da.O Ato de ler: fundamentos psicológicos para uma nova pedagogia da leitura. São Paulo: Cortez, 2002.

 

ZILBERMAN, Regina. Fim do livro, fim dos leitores? São Paulo: SENAC, 2001

Cursos Profissionalizantes

banner-impactosbrasil

matricule-se

Parceiros

botao-login-azul

botao-login-laranja